Os vereadores de Curitiba escolhem a nova mesa diretora da Câmara, nesta quarta-feira, a partir das duas horas da tarde. Vão estar em disputa os sete postos da Mesa Diretora, responsáveis pela administração da Câmara e condução das sessões plenárias, e os três da Corregedoria, que monitoram a conduta ética dos parlamentares.

As representações partidárias têm até ao meio dia de quarta-feira para registrar a formação de blocos parlamentares via requerimento no Sistema de Proposições Legislativas.

Os ofícios serão sistematizados pelo Departamento de Processo Legislativo (Deprole) que, às 12h30, divulgará a relação oficial dos grupos que dividirão a composição da Mesa Diretora.

Depois, os blocos listados terão até a uma hora da tarde para indicar suas lideranças, sendo que, se isso não ocorrer, o cargo irá para o integrante com maior tempo como vereador. O cálculo da proporcionalidade será divulgado às 13h30.

Regra da proporcionalidade

A regra da proporcionalidade estipula que, se um bloco parlamentar, ou bancada, tem mais integrantes que outro, aquele que é maior tem preferência na indicação dos cargos que deseja ocupar na Mesa Diretora.

O atual presidente da Câmara, Tico Kuzma (Pros), não pode concorrer à reeleição. Ele que vai conduzir a escolha dos próximos dirigentes da Câmara. Definidos os blocos parlamentares, ele perguntará aos líderes dos grupos de vereadores para quais cargos eles pretendem indicar candidatos.

Terminada a divisão dos postos, é aberta uma votação individual dos cargos, a começar pelo de presidente, indo até o de quarto-secretário.

Na última eleição da Mesa, no início da 18ª Legislatura, três blocos parlamentares foram constituídos para o pleito. Naquela ocasião, o “blocão” tinha 21 integrantes, de 12 partidos diferentes, e indicou 5 dos 7 cargos da Mesa, cabendo aos outros dois, de tamanhos semelhantes, a indicação de 1 vereador cada para os postos de direção. Em razão de não ter havido candidaturas avulsas, a votação foi uma aclamação da articulação realizada pelos parlamentares.

A última vez que houve disputa entre os vereadores para os cargos foi em 2014, quando Ailton Araújo venceu Chicarelli na corrida pela presidência da Casa, naquele que foi o primeiro pleito após o fim da reeleição na Câmara de Curitiba.

Depois de Araújo, Serginho do Posto (2017-2018), Sabino Picolo (2019-2020) e Tico Kuzma (2021-2022) foram eleitos sem terem que enfrentar candidaturas avulsas dentro dos seus blocos parlamentares.

Com informações da assessoria