São várias as informações que devem ser levadas em conta na hora de contratar um transporte escolar. O preço é apenas um dos itens. A coordenadora do Procon-PR, chama atenção para outros detalhes que devem entrar nesta lista.

 

E como diz o ditado popular, o que é combinado não sai caro. Os termos do contrato assinado entre responsáveis e transportadores escolares precisam estar claros. Principalmente os valores cobrados.

 

Vale lembrar que além do veículo estar identificado conforme a legislação, o condutor também precisa estar dentro das regras. A idade mínima para dirigir este tipo de condução é 21 anos e há necessidade de ter carteira D, que permite transporte de passageiros. O presidente da Apoia, Associação Paranaense dos Organismos de Inspeção Acreditados reforça.

No Paraná, segundo números do Departamento Estadual de Trânsito (Detran-PR) existem 13.965 veículos autorizados a realizar o transporte de estudantes. Em Curitiba, são 1.253 veículos. A Urbanização de Curitiba (Urbs) orienta que as empresas prestadoras deste serviço mantenham as licenças atualizadas. Quem for apanhado com documentação irregular, poderá ser multado e até perder o direito de trabalhar.
O presidente da Apoia ensina como essa documentação pode ser conferida.

 

Em 2018, um levantamento do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) em parceria com o Detran-PR mostrou que mais de 93% dos quase 4 mil veículos oficiais municipais e estaduais destinados ao transporte de alunos da rede pública estavam sem cadastro ou com a inspeção atrasada.