A Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) divulgou, nesta quarta-feira (21), a maior pesquisa feita com empresários do setor industrial para identificar o desempenho dos negócios e as expectativas para 2023.

O resultado da 27ª Sondagem da Industrial, publicada nesta quarta-feira (21) pela Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) apontou que mais de 40% dos empresários entrevistados estão otimistas ou muito otimistas com o desempenho da indústria para o próximo ano. Sobre o mesmo tema, os gestores que se mostram pessimistas ou muito pessimistas para 2023 representam 14%.

A perspectiva de crescimento das vendas fez com que 87% dos industriais entrevistados se declarassem otimistas ou muito otimistas. 69% dos empresários também se mostram esperançosos com a possibilidade da entrada em novos mercados e 64% no aumento da produtividade e competitividade.

Por outro lado, fatores como custos de produção, infraestrutura logística e energia foram colocados como os principais obstáculos que podem interferir no desempenho dos negócios.

Embora mais de 40% dos industriais tenham demonstrado otimismo a respeito da expectativa de desempenho da indústria, cerca de 44% expressaram expectativa neutra para 2023.

Entre os pessimistas, 88% afirmaram que os fatores que justificam esse posicionamento são as preocupações com os custos totais de produção, a dificuldade de explorar novos mercados foi citada por 69%, já as dificuldades com vendas e os investimentos foram as justificativas de 68% dos entrevistados.

O Paraná está entre os maiores produtores industriais do Brasil, segundo o presidente do Sistema Fiep, Carlos Valter Martins Pedro.

Em relação à principal fonte de financiamento, 65% dos empresários afirmaram que utilizarão recursos próprios, 18% que pretendem recorrer a bancos de fomento e desenvolvimento e 9% indicaram que utilizarão recursos de bancos tradicionais.

O presidente do Sistema Fiep falou sobre a expectativa que ronda o setor industrial com o novo governo.

O economista da Fiep, Marcelo Alves, falou sobre o otimismo e também sobre os investimentos dos empresários.

A análise também é importante para que a Fiep compreenda quais são as intenções, as dificuldades e os desafios que o deve enfrentar nos próximos meses. Além disso, o estudo pode definir o direcionamento das ações de acordo com os interesses da indústria, apontados na pesquisa.