A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) informou à reportagem da CBN Curitiba nesta quarta-feira (21) que recebeu da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) um comunicado com informações e orientações sobra o alerta que determina o recolhimento e proíbe a comercialização, distribuição, manipulação e uso de lotes do ingrediente propilenoglicol.

A medida é preventiva, segundo a Anvisa, e quer evitar que os produtos sejam utilizados na fabricação de alimentos para consumo humano. O conteúdo foi encaminhado para as Regionais de Saúde e Vigilâncias Sanitárias Municipais do Estado, de acordo com a Sesa.

Em 9 de setembro a Anvisa publicou uma medida sobre o tema. Lotes foram analisados pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que detectou a contaminação de petisco para cães por etilenoglicol, substância extremamente tóxica, se ingerida.

Ao identificar, durante a investigação dos fatos, a possibilidade de distribuição do ingrediente contaminado para fábricas de alimentos para uso humano, o Ministério compartilhou as informações para que a Anvisa pudesse adotar ações relacionadas aos produtos sujeitos a vigilância sanitária.

Vale lembrar que no início deste mês o Departamento Estadual de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon-PR) determinou, a retirada dos produtos da Bassar Pet Food das prateleiras dos estabelecimentos comerciais em todo o estado. Além da retirada, fica proibida a venda dos produtos da marca, além da troca ou devolução do dinheiro aos consumidores que já efetuaram a compra.

A empresa de alimentos para animais de estimação anunciou o recall dos seus produtos após a análise preliminar publicada em ofício pelo Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) apontar que em um dos insumos utilizados pela empresa, o propilenoglicol, estaria contaminado com etilenoglicol.