A Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) emitiu um alerta no Paraná na quinta-feira (2) para um possível aumento de casos de febre chikungunya, principalmente nas regiões Oeste e Sudoeste do Paraná.

O motivo está relacionado ao surto da doença no Paraguai, pais vizinho e que faz fronteira com cidades paranaenses. O informativo foi enviado pelo Centro de Informações Estratégicas em Vigilância em Saúde (Cievs) para as 22 regionais de saúde.

O mosquito transmissor da Chikungunya é o Aedes aegypti, o mesmo que leva o vírus da dengue e o zika. As autoridades de saúde pedem que a população realize a limpeza dos quintais, retire a água parada de vasos e plantas, além de higienizar recipientes de comida e água para animais diariamente.

Dentre as recomendações da Sesa para os municípios estão a notificação imediata do caso em até 24 horas a partir da suspeição da doença para a Secretaria Municipal de Saúde, entre outras ações locais de comunicação e divulgação para a população.

De acordo com o último informe epidemiológico divulgado na terça-feira (31), o Estado tem 126 casos notificados, 73 em investigação e sete confirmações, sendo cinco importados e dois ainda aguardam o resultado. Esse número corresponde ao novo período sazonal da doença, que iniciou no mês de agosto de 2022.

Com informações da assessoria