Renomes da ciência estão em Curitiba para tratar de avanços relacionados à biotecnologia em saúde.

Os diversos temas abordados durante o evento mostram pesquisas e estudos que servem como base para o desenvolvimento de produtos com aplicabilidade no cotidiano, segundo a organização do evento.

A partir de estudos muitos produtos são desenvolvidos para melhorar a qualidade de vida da população. Um exemplo dado pela coordenadora de Pesquisa, Desenvolvimento e Inovação do Observatório Sistema Fiep, Ariane Hinça Schneider, foi o desenvolvimento de vacinas feito por instituições que participam do evento, especialmente durante a pandemia da Covid-19.

Palestras, painéis e mesas redondas fazem parte do 1° Encontro de Rotas Biotecnológicas voltado ao setor da saúde que começou, em Curitiba, nesta terça-feira (18) e vai até quinta-feira (20). Pesquisadores, acadêmicos, empresários e profissionais da saúde envolvidos em áreas de pesquisa e desenvolvimento participam do evento que acontece no Campus da Indústria do Sistema Fiep, no Jardim Botânico.

Durante os três dias de programação, participantes, estudiosos e admiradores da ciência e da tecnologia podem debater e agregar conhecimento sobre diversos temas, compreender estudos e pesquisas, além de trocar experiências com participantes renomados nacional e internacionalmente.

A consultora do Sebrae, Walderes Bello, afirmou que o evento é importante para mostrar que estudos e pesquisas feitos em universidades e centros de pesquisas têm aplicação real na vida das pessoas e no mercado.

Ariane Schneider explicou que o desenvolvimento dessas tecnologias para a indústria da saúde tem impacto direto na economia.

O evento é gratuito e para participar basta fazer a doação de um pacote de fraldas para o Hospital Pequeno Príncipe. A programação completa e as inscrições, que ainda estão abertas, podem ser acessadas pelo site www.erbiotec.com.br