O governo do Estado anunciou que as obras de recuperação da Estrada da Graciosa devem se estender ao segundo semestre. Segundo o governo os motivos são as constantes tempestades que tem acontecido nos últimos meses e dificuldades operacionais para a execução da obra. Entre os problemas está o chamado bota-fora de materiais escavados distante do local dos serviços e o tráfego de veículos permanente na rodovia.

Ainda segundo o governo, os danos abaixo da pista já estão contidos e melhorias continuam em andamento. O trecho permanece em operação pare-e-siga do km 7 ao km 8, e do km 11 ao km 12, sem interrupção de tráfego.

Segundo a Secretaria de Infraestrutura e Logística (SEIL) os pontos mais críticos já estão fora de perigo, sem risco de a pista centenária ceder. Os serviços são realizados por mais de 100 trabalhadores contratados de maneira emergencial pelo Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER/PR).

Km 7
As frentes de trabalho atuam em quatro quilômetros, realizando serviços específicos para atender os diferentes danos. No km 7, onde o asfalto chegou a sofrer rachaduras devido ao rompimento da cortina de contenção ao lado da pista, foi realizado o jet grouting (injeção de nata de concreto) para estabilizar o talude e atualmente estão sendo feitas perfurações para instalação de tirantes metálicos na cortina e drenos longitudinais profundos. O local ainda vai receber reforço do solo, na sequência.

Km 8
No km 8, ponto em que o escorregamento foi acima da pista, estão sendo finalizadas a instalação de drenos e da tela metálica de alta resistência no talude do meio, além da execução de canaletas e descidas d’água. Ainda será feita a escavação e regularização do talude mais próximo à pista.

Km 11
No km 11+200, outro ponto com danos abaixo da rodovia, estão sendo realizadas perfurações para instalação de grampos, e também foi parcialmente instalada uma tela metálica para aplicação de concreto projetado. No km 11+600, acima da pista, está sendo feita terraplenagem do talude, com instalação de barreiras de concreto New Jersey para proteger a pista temporariamente.

Km 12
Por último, no km 12, também com o dano acima da pista, foram realizados o grampeamento e instalação dos drenos em um dos taludes, enquanto o outro está recebendo os grampos metálicos, com as telas metálicas sendo preparadas. Também estão sendo executadas canaletas para drenagem. Tanto neste quilômetro quanto no km 8 será feita hidrossemeadura após instalação das telas metálicas.

Pare e Siga
O trecho permanece em operação pare-e-siga do km 7 ao km 8, e do km 11 ao km 12, com a rodovia permanecendo aberta o tempo todo, exceto em caso de chuvas fortes ou períodos prolongados de chuva, quando o trecho é interditado preventivamente.

Frentes de trabalho noturnas atuam no km 8, km 11+200 e km 12, visando acelerar o andamento da obra, combinadas às atividades já realizadas durante o dia.