Um levantamento feito pela CBN, com dados dos Informes Epidemiológicos Mensais da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (ADAPAR) aponta que em 2022, de janeiro a julho, foram 93 casos confirmados de raiva em animais. A maior parte deles eram bovinos, com 82 diagnósticos, 8 equinos foram contaminados e 1 ovino.

No entanto, o número de animais mamíferos que foram expostos chega a 5.961, e com a baixa no número de vacinação este tipo de situação faz com que seja necessário enfatizar a imunização por parte do produtor, como explica o médico veterinário Rafael Gonçalves Dias, Gerente de Sanidade Animal da ADAPAR.

A doença atinge principalmente os animais bovinos, mas pode ser contraída por pets e humanos. Os sintomas variam de acordo com a espécie, em geral, há alteração no sistema nervoso, excesso de saliva e perda das funções motoras. A raiva não tem cura e é provocada por morcegos infectados pelo vírus.

Apesar da quantidade de casos, o especialista afirma que eles estão dentro do previsto.