O projeto de privatização da Copel enviado pelo governo à Assembleia Legislativa do Paraná recebeu parecer favorável na reunião da Comissão de Constituição e Justiça, nesta terça-feira (21). A proposta está em análise na Comissão de Finanças, onde teve um pedido de vista.

Há possibilidade do projeto ter que passar por outras comissões temáticas, dependendo dos debates. Na sequência deve ir para análise do plenário.

O presidente da casa, deputado Ademar Traiano, acredita que a aprovação acontecerá sem dificuldades.

Ao ser questionado sobre a repercussão junto aos funcionários da Copel, que já anunciaram que vão acompanhar as votações nas galerias do plenário, o presidente negou que barre qualquer manifestação democrática.

Traiano também confirmou que o Colégio Estadual do Paraná permanece como está, sendo responsabilidade da Secretaria de Educação e não será transformado em autarquia, como previa uma das mensagens enviadas pelo governo à casa. O governo também voltou atrás na decisão de criar uma taxa em cima dos produtos rurais, o Fundo de Infraestrutura.

Havia previsão de arrecadação de R$1,8 bilhões por ano com novos impostos sobre soja e milho, por exemplo, mas devido à repercussão negativa do setor agropecuário, esse projeto nem chegou a entrar hoje na pauta da CCJ.

Todas as mensagens chegaram em regime de urgência. Ao todo foram 17 projetos, que o presidente da Assembleia Legislativa, Ademar Traiano, acredita serem votados até quinta-feira

Nesta quarta-feira (23) estão programadas duas reuniões extraordinárias na Comissão de Constituição e Justiça e outras duas sessões em plenário.