O Paraná registrou um aumento de 24% no número de internações por queimaduras no último ano. Foram mais de 2 mil atendimentos registrados em 2023, contra 1,6 mil em 2022. Se considerado somente o mês de junho, o aumento é de 20% (em 2022 foram 113 registros contra 136 no ano passado). Os dados são do DataSUS, divulgados pela Secretaria de Estado da Saúde.

Ainda segundo informações do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma em Emergência (Siate), em 2022 foram realizados 913 acionamentos por queimaduras, com 941 vítimas. Em 2023 foram 1.367 acionamentos, com 1,4 mil vítimas – o aumento é de 49% no número de vitimados. Quando comparado somente o mês de junho, são 47 atendimentos com 50 vítimas em 2022 e 107 atendimentos com 107 vítimas em 2023, num aumento de 68%.

Nesta época de festas juninas há um alerta para a prevenção de queimaduras, principalmente com fogos de artifício. O cuidado já começa na compra do produto, segundo a capitã do Corpo de Bombeiros, Luisiana Guimarães.

Há regras para o momento da soltura dos fogos. A recomendação é sempre ler o rótulo e seguir as orientações.

Em caso de queimaduras, a pessoa que sofrer este acidente deve colocar a parte queimada debaixo da água corrente fria, com jato suave, por aproximadamente dez minutos. No caso de queimaduras em grandes extensões do corpo, é preciso acionar o Corpo de Bombeiros pelo número 193.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Queimaduras, aproximadamente 1 milhão de pessoas sofrem queimaduras por ano no Brasil, resultando em três mil mortes no País.