Nas últimas seis semanas o número de casos de Síndrome Respiratória Aguda (SRAG), que inclui influenza e Covid-19, cresceu no Paraná. O sinal de crescimento está concentrado nas crianças e adolescentes. Os dados mostram ainda que o Paraná está em uma zona considerada de segurança, com incidência percentual de casos de SRAG por influenza, entre 2.5 e 50, o que é considerado mediano, segundo o estudo. Já a morte pela doença está na zona de risco, com incidência de 97.5 por 100 mil habitantes. Os dados são referentes à semana de 19 a 25 de fevereiro (semana epidemiológica 8) e foram apresentados nesta sexta-feira no novo Boletim InfoGripe da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

Bernardo Almeida, médico infectologista do Hospital Marcelino Champagnat diz que esse aumento já foi sentido nos hospitais antes até do feriado de Carnaval.

O infectologista lembra que vivemos um momento de transição epidemiológica da Covid-19 de pandemia para endemia. Um período que pode durar anos, até que se tenha uma estabilização da doença.

Para os próximos meses é esperado um novo aumento de casos, com pico no índice de Covid-19.

Com relação aos cuidados, o principal, segundo o médico infectologista, é manter o calendário de vacinação atualizado.

A partir deste sábado (4), Curitiba começa a aplicar a vacina bivalente em idosos nascidos até 1938, que já tenham recebido pelo menos as duas primeiras doses da vacina anticovid. Curitiba tem cerca de 14 mil idosos nascidos nesta.

Serão 14 pontos de vacinação, das 9h às 15h. De segunda-feira (6) em diante, a vacina bivalente estará disponível para o público de nascidos até 1938 em todas as unidades de saúde da capital.