O Paraná aparece em terceiro na destruição da Mata Atlântica, com mais de 3 mil hectares desmatados entre 2020 e 2021. Em primeiro lugar no ranking aparece Minas Gerais e em segundo a Bahia.

Entre 2020 e o ano passado, foram desmatados mais de 21 mil hectares do bioma em todo o País. O número é equivalente a mais de 20 mil campos de futebol. Um crescimento de 66% em relação ao registrado entre 2019 e 2020 (13.053 ha) e 90% maior que entre 2017 e 2018, quando se atingiu o menor valor de desflorestamento da série histórica (11.399 ha).

Houve alta do desmatamento em 15 dos 17 Estados que compõem o bioma, de acordo com o Atlas da Mata Atlântica, levantamento realizado desde 1989. Cinco dos Estados acumularam 89% do desflorestamento verificado: Minas (9.209 hectares), Bahia (4.968 ha), Paraná (3.299 ha), Mato Grosso do Sul (1.008 ha) e Santa Catarina (750 ha).

O levantamento é da Fundação SOS Mata Atlântica em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), órgão do Ministério da Ciência e Tecnologia.

De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), 72% da população brasileira – 145 milhões de pessoas – vivem em áreas que se inserem na Mata Atlântica. As maiores cidades do País, como Rio, São Paulo, Salvador, Belo Horizonte e Curitiba são alguns dos exemplos.

Clóvis Borges, da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS) comentou os dados em entrevista à CBN Curitiba.

O especialista fala em conivência da população no caso do aumento dos desmatamentos.