O governo do Paraná anunciou, nesta segunda-feira (24), o investimento de R$ 505 milhões para a expansão no fornecimento de gás no estado. O pacote de obras deve ser implementado ao longo dos próximos cinco anos, por meio da Companhia Paranaense de Gás (Compagas).

Dentre as iniciativas, está a expansão do atendimento do fornecimento de gás biometano nas cidades de Londrina e Maringá, com um investimento de R$ 100 milhões. O secretário de estado de Planejamento, Guto Silva, falou sobre o projeto.

O pacote de investimentos também será realizado em outras cidades do estado. Há ainda a previsão da construção de 158 quilômetros de um gasoduto entre as cidades de Araucária e Lapa, na Região Metropolitana de Curitiba.

O projeto contará com o apoio de outras duas empresas especializadas no segmento. O Paraná também contará com 11 postos de abastecimento para veículos leves e pesados movidos a gás, entre o interior e o litoral. O presidente da Compagas, Rafael Lamastra Júnior, afirmou que a ideia é tornar o Paraná um estado mais sustentável.

Durante a cerimônia, foi anunciada ainda a formalização do primeiro contrato da gestão do gás biometano no estado. A iniciativa tem como objetivo gerar emprego e auxiliar no crescimento econômico do Paraná, como explicando governador Ratinho Junior (PSD).

A intensa produção de biomassa no Paraná é um dos principais motivos para atrair esse tipo de investimento. No entanto, o governo do estado defende a ampliação da infraestrutura para gerenciar todo o potencial de crescimento.

O Produto Interno Bruto do Paraná (PIB) cresceu mais de 5% em 2023. A ideia do governo do estado é ampliar os investimentos de capital privado para possibilitar iniciativas de industrialização e geração de emprego.