Um vídeo veiculado pela RPC TV mostra o momento em que o comandante-geral da Polícia Militar do Paraná, coronel Hudson Leôncio Teixeira, conversa com manifestantes bolsonaristas na PR-151 em Ponta Grossa, nos Campos Gerais, autoriza a continuidade do bloqueio parcial e admite prevaricação, que é quando um agente público retarda, não pratica ou executa atos de ofício obrigatórios, como leis ou decisões judiciais.

A desobstrução das estradas foi determinada pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Após o flagra, a bancada do Partido dos Trabalhadores na Assembleia Legislativa do Paraná acionou o Supremo Tribunal Federal. “O fato tem que ser apurado”, afirma o deputado Requião Filho (PT), que condenou a atuação do comandante da PM.

Nesta quarta-feira (2), a Polícia Militar do Paraná havia informado que não divulgaria mais os pontos exatos das manifestações nas rodovias estaduais, como vinha acontecendo até aquela manhã – isso porque, segundo a corporação, o informe estava inflando o movimento realizado por manifestantes bolsonaristas que não aceitam o resultado da eleição, que deu a Lula (PT) a presidência da República a partir de 2023.

Na manhã desta quinta-feira (3), 15 bloqueios parciais e um total estão ativos nas rodovias estaduais. Há ainda 22 pontos com manifestantes, sem interrupção de fluxo. A PM diz que 66 bloqueios foram totalmente liberados nos últimos dias.

Nas rodovias federais que cortam o Paraná, pela manhã, eram apenas dois locais com bloqueios: um na região litorânea, na BR-376, km 645, em Tijucas do Sul – sentido Santa Catarina, onde há interdição total, reflexo de uma manifestação em Garuva (SC), na BR-101, km 6; e outro na região sudeste do Paraná, na BR-476, km 358, em União da Vitória, com interdição parcial.

A CBN Curitiba aguarda um posicionamento da PMPR sobre o ocorrido envolvendo o comandante-geral da corporação.

Por meio de nota a Secretaria da Segurança Púbica do Estado do Paraná se manifestou:

A Secretaria da Segurança Pública do Estado do Paraná ressalta que as forças de segurança estaduais estão cumprindo integralmente a decisão do Supremo Tribunal Federal, em apoio à Polícia Rodoviária Federal. O trabalho de desobstrução das estradas estaduais e federais começou na segunda-feira e mais de 200 desbloqueios já foram realizados.

A Polícia Militar do Paraná tem agido de acordo com a técnica policial consolidada para resolver este tipo de crise. A liberação das estradas tem sido feita com negociação e uso progressivo e escalonado da força quando necessário.

O objetivo é cumprir integralmente a determinação judicial. No momento, não há pontos de bloqueio total e apenas sete pontos de bloqueio parcial nas rodovias estaduais.