Operação Dark Cloud deflagrada pela Polícia Federal apura ataques contra diversos sites do Governo Federal, entre eles o Instituto Federal do Paraná (IFPR). A apuração de crimes relacionados aos ataques cibernéticos começou pela investigação que tirou do ar o Conecte SUS, do Ministério da Saúde, em dezembro do ano passado. A página ficou inacessível por vários dias.

Na manhã desta terça-feira (16), policiais federais cumpriram oito mandados de busca e apreensão nos estados do Paraná, Santa Catarina, Minas Gerais e Paraíba. A ação mira um grupo criminoso suspeito de invadir ambientes virtuais.

As ordens judiciais foram expedidas pelo Juízo da 12ª Vara da Justiça Federal no Distrito Federal. O objetivo é buscar elementos para o inquérito policial que apura os crimes relacionados aos ataques.

Durante a investigação, os policiais descobriram que os ataques foram realizados por uma organização criminosa transnacional que mira entidades públicas e privados no Brasil, Estados Unidos, Portugal e Colômbia.

Além dos ataques aos sites do IFPR e do Ministério da Saúde, o grupo acessou indevidamente os sites da Controladoria-Geral da União, Ministério da Economia, Agência Nacional de Águas e Saneamento Básico, Escola Nacional de Administração Pública, Agência Nacional de Transporte Terrestre, Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, Agência Nacional de Energia Elétrica, Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal e Polícia Rodoviária Federal.

Há vários crimes apurados na investigação, entre eles os de organização criminosa, invasão de dispositivo informático, interrupção ou perturbação de serviço telegráfico, radiotelegráfico ou telefônico, e também dificuldade ou impedimento ao restabelecimento; além do crime de corrupção de menores e lavagem de dinheiro.