Obras da Linha Verde, do lote 4.1, trecho urbano da BR 116 que envolve o trevo do Atuba, em Curitiba, estão paralisadas desde segunda-feira (21). E devem permanecer assim, segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Pesada do Paraná (Sintrpav/PR), Raimundo Ribeiro Santos Filho (Bahia).

Há cinco dias, o consórcio formado pelas empresas TCE Engenharia e Compasa, vencedor da licitação para conclusão da revitalização da Linha e os trabalhadores seguem sem um acordo para que os trabalhos voltem a acontecer na região.

Nesta sexta, uma reunião havia sido marcada, como explica Raimundo.

Rafael Porto Lovato, mestre em Direito Administrativo, explica que por se tratar de uma demanda fora do edital, ela não seria de absorção obrigatória por parte do novo consórcio.

A principal demanda dos trabalhadores está relacionada a redução de benefícios após a alteração do Consórcio responsável pela execução da obra. Sem previsão para que as obras sejam retomadas, o próximo passo do Sintrapav-PR deve ser o protocolo de uma ação junto ao Ministério Público do Trabalho (MPT), que já faz a mediação do caso, para que a situação seja resolvida.