Nesta sexta-feira (24) Curitiba terá um ato em memória às vítimas do conflito entre a Rússia e Ucrânia. Orações farão parte da cerimônia, marcada para 18h30, no Memorial Ucraniano no Parque Tingui. Quem dá os detalhes é a Solange Melnyk Oresten Presidente do Folclore Ucraniano Barvinok

O Paraná recebeu refugiados ucranianos. A grande maioria seguiu para Prudentópolis, cidade com maior comunidade de descentes do país. Não há um número exato de refugiados recebidos no estado, mas a estimativa é de que tenham mais de 100, segundo a Organização das Nações Unidas (ONU) para Refugiados.

Aqui no estado foi criado o programa paranaense de acolhida a cientistas ucranianos. Até o momento 12 pesquisadores já vieram para o Brasil e está prevista a chegada de mais cientistas nos próximos dias.

Eles estão distribuídos em nove universidades do estado. O edital do projeto é de fluxo contínuo, com 50 bolsas disponíveis no total e tem como prioridade apoiar financeiramente as Instituições Científicas e Tecnológicas e de Inovação (ICTs) paranaenses na acolhida de pesquisadores ucranianos para atuar na Pós-graduação Stricto Sensu.

De acordo com o presidente da Fundação Araucária, Ramiro Wahrhaftig, o tempo de duração das bolsas é de 24 meses e os pesquisadores podem também receber o auxílio complementar por dependente abaixo de 18 anos e/ou ascendente acima de 60 anos.

O Programa Paranaense de Acolhida a Cientistas Ucranianos conta com R$ 18 milhões em recursos e é desenvolvido em parceria com a Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.