As sete cidades do Litoral paranaense já instauraram 42 inquéritos envolvendo violência doméstica, desde o início da Operação Verão Maior, em 16 de dezembro, segundo informações da Polícia Civil do Paraná (PCPR). Conforme a instituição, há várias equipes nas sete cidades litorâneas para atender a população.

A Lei Maria da Penha caracteriza cinco formas de violência doméstica e familiar, como violência física, que se caracteriza por qualquer tipo de lesão; violência psicológica, que causa danos emocionais e diminuição da autoestima; violência sexual; violência moral, que desonram a mulher com mentiras ou ofensas; e violência patrimonial, que envolvam a destituição de qualquer bem conquistado pela mulher.

A delegada titular de Matinhos, que coordena a Operação Verão na cidade, Samia Cristina Coser, fala sobre as principais ocorrências que envolvem violência doméstica.

De acordo com a Polícia Civil, medo e dependência financeira são os principais obstáculos que impedem as mulheres de denunciarem a violência sofrida.

Samia Coser explica que o estado não está preparado para acolher e dar o suporte necessário, principalmente financeiro, para essas mulheres.

Segundo a delegada, a maioria das denúncias é feita pelas próprias vítimas, mas também há crimes relatados por familiares ou pessoas próximas. Nesses casos, ela faz uma orientação importante.

Samia Coser ressalta que as delegacias do litoral permanecem abertas 24 horas durante a temporada. Ela lembra é muito importante que as mulheres levem todas as provas na hora de registrar o Boletim de Ocorrência.

A Polícia Civil orienta que as vítimas sempre devem registrar um Boletim de Ocorrência na delegacia mais próxima. Porém, se o crime estiver acontecendo, no exato momento, ou em um intervalo de tempo recente, a polícia orienta para que a vítima acione a Polícia Militar, pelo 190, ou a Guarda Municipal, pelo 153. Além disso, a vítima ou qualquer pessoa pode fazer denúncia pela Central de Atendimento à Mulher, no número 180, de forma confidencial.