Cássia Vialli Martins, acusada de matar o motoboy Jheykson Medeiros no início de setembro deste ano em Curitiba, foi denunciada nesta sexta-feira (16) pelo Ministério Público do Paraná.

O órgão sustenta a prática de homicídio com dolo eventual qualificado por meio cruel (pois a mulher assumiu o risco de matar), bem como os crimes de omissão de socorro e fuga do local do acidente. O processo deve tramitar na 1ª Vara Privativa do Tribunal do Júri de Curitiba.

Cássia ainda teria sido auxiliada por uma amiga para fugir após o acidente – a quem também é atribuída a prática do crime de fuga do local do acidente e, ainda, do crime de favorecimento pessoal.

O promotor de justiça, Rodrigo Casagrande, afirma que a Promotoria também pediu a imposição de medidas cautelares, para que ela seja proibida de frequentar bares e boates e que seja determinado o seu recolhimento domiciliar, no período noturno, nos dias de folga.

O acidente aconteceu dia 3 de setembro deste ano no bairro Boqueirão em Curitiba. Jheykson Medeiros trabalhava no momento do acidente, fazendo entregas para a hamburgueria da família. Foi atingido pelo carro de Cássia Vialli Martins, que dirigia na contramão. De acordo com testemunhas que registraram o boletim de ocorrência, a motorista fugiu do local sem prestar socorro e tinha sinais de embriaguez.

Por meio de nota o advogado Igor José Ogar, que faz a defesa de Cassia Vialli, afirmou que a denúncia é apenas uma parte processual normal esperada pela defesa que não traduz em culpa ou sentença determinando qualquer tipo de pena. “A senhora Cassia Vialli provará, no curso do processo judicial sua inocência”. A nota diz ainda que o processo ainda está em trâmite “sendo certo que, até o final da instrução ficará claro que a senhora Cássia Vialli jamais quis tirar a vida de uma pessoa.

Confira a nota na íntegra:

 

Nota do advogado Igor José Ogar
O advogado Igor José Ogar se manifesta quanto a denúncia apresentada pelo Ministério Público no processo da influencer Cassia Vialli com o fim de esclarecer à sociedade o que está ocorrendo. Até hoje a senhora Cassia Vialli ainda sofre os abalos emocionais que teve devido ao acidente e, em respeito a família, prefere não se manifestar neste momento.
A denúncia é apenas uma parte processual normal esperada pela defesa que não traduz em culpa ou sentença determinando qualquer tipo de pena. A senhora Cassia Villi provará, no curso do processo judicial sua inocência.
Ainda, explica o doutor Igor José Ogar, o processo ainda está em trâmite sendo certo que, até o final da instrução ficará claro que a senhora Cássia Vialli jamais quis tirar a vida de uma pessoa.
Uma vitória já obtida pela defesa de Cássia, como mostra o doutor Igor José Ogar é o fato de que o Ministério Público do Estado do Paraná não requereu a prisão da mesma, o que mostra que a mesma não apresenta nem é um risco à sociedade, conforme já fora noticiado.

Foto: Rafael Trindade/RPC