Um motorista de caminhão, de 30 anos, morreu na madrugada desta quarta-feira (13), após colidir o veículo contra uma mureta da praça de pedágio desativada da BR-277, na região de São Luís do Purunã, em Balsa Nova, na Região Metropolitana de Curitiba.

Conforme a Polícia Rodoviária Federal (PRF), o motorista perdeu a direção do caminhão pouco antes de chegar na praça de pedágio bateu na mureta e tombou o veículo. O homem não resistiu aos ferimentos e morreu ainda no local.

Ainda segundo a PRF, o acidente aconteceu no sentido Ponta Grossa-Curitiba. O motorista seguia em comboio com outros profissionais para Marília, em São Paulo.

De acordo com os policiais, o tacógrafo do veículo indicava velocidade de aproximadamente 90km/h e a velocidade máxima indicada no local é de 40 km/h.

Este não foi o primeiro acidente envolvendo caminhões e a praça de pedágio desativada de São Luís do Purunã.

Na madrugada do dia 02 de março, outro motorista, com um caminhão-tanque bateu contra as muretas da praça de pedágio, mas não ficou ferido. No impacto, ele atingiu também cabines que antes eram utilizadas para a cobrança do pedágio.

Ainda em março, a Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), encaminhou um requerimento ao Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná (DER-PR) e ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), solicitando melhoria na iluminação e sinalização das praças de pedágio desativadas.

Por meio de nota, o DER-PR informou que a manutenção das rodovias federais e melhorias nas estruturas das antigas praças de pedágio nestas vias devem ser verificadas junto ao DNIT, uma vez que a administração destes espaços públicos retornou ao governo federal, com o término das concessões de pedágio e convênios de delegação no ano passado.

A CBN Curitiba procurou o DNIT, que se posicionou por meio de nota:

“O DNIT lamenta o acidente ocorrido e informa que a iluminação na localidade foi recentemente alvo de vândalos que destruíram ou retiraram o sistema elétrico. O Departamento já havia prestado queixa às autoridades responsáveis e atua na implementação de projeto de engenharia que dificulte novas ações de vandalismo, restituindo a iluminação ao local.

O DNIT esclarece ainda que tem atuado de maneira prioritária na manutenção/conservação das rodovias federais paranaenses recém recebidas. As responsabilidades assumidas pelo Departamento não abrangem serviços de operação da via e de guarda patrimonial, seguindo o padrão em âmbito nacional, em função das atribuições legais da instituição não incluírem poder de polícia.”

* Matéria atualizada às 18h50