O novo modelo de pedágios no Paraná já pode ser definido no 1° semestre de 2023. A informação é do coordenador da Frente Parlamentar sobre pedágio na Assembleia Legislativa, deputado estadual Arilson Chiorato (PT).

Ele adiantou à CBN que deve conversar com o Governo Federal e aguarda agenda com o presidente Lula para estudar discutir um modelo de baixa tarifa e chegar a uma definição ainda no primeiro semestre deste ano.

 

A decisão faz parte da oposição ao modelo proposto pelo governador Ratinho Júnior (PSD). Segundo o deputado, as tarifas podem ficar mais caras com o modelo que está sendo discutido.

O modelo buscado pela Frente Parlamentar é alvo de críticas por parte do Governo do Paraná. Durante o discurso de posse neste domingo (1°), o governador Ratinho disse que “não vamos aceitar pedágio ‘caipira’, apenas com pintura de asfalto e corte do mato. Queremos duplicação”.

Ele defende que as empresas sejam selecionadas por meio da Bolsa de Valores, indicando o menor preço da tarifa. Além disso, para ele as concessionárias não podem ser responsáveis apenas por manutenção das estradas.

No último mês, o chefe do Executivo no Paraná já havia afirmado que poderia investir em um modelo de concessão próprio caso o que for apresentado pelo Governo Federal não correspondesse às expectativas.

1 ano de cancelas abertas

Os motoristas deixaram de pagar pedágio no Paraná em 27 de novembro de 2021, quando houve o fim da concessão de rodovias, iniciada em 1997. Ao todo, 27 praças deixaram de fazer a cobrança. A tarifa cobrada na época era de R$ 23,30, uma das mais caras do estado e do país.