Em todo o Brasil, mais de 21 mil hectares da Mata Atlântica foram desmatados no primeiro semestre de 2022, o equivalente à área de 117 campos de futebol por dia. Isso corresponde à emissão de mais de 10,2 milhões de toneladas de dióxido de carbono (CO2) equivalentes – medida utilizada para calcular as emissões de gases de efeito estufa.

No Paraná foram 1.607 hectares derrubados no período. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira (01) e fazem parte do boletim do SAD (Sistema de Alertas de Desmatamento) Mata Atlântica consolidado no MapBiomas Alerta.

Pelo monitoramento, as regiões oeste e central do estado, assim como a região metropolitana de Curitiba são os locais de maior desmatamento. A cidade de Bocaiúva do Sul, na região metropolitana, foi o município que mais desmatou floresta de Mata Atlântica no período, com a derrubada de 122 hectares. A cidade de Nova Laranjeiras, no oeste, está na segunda colocação, com 121 hectares desmatados. Jataizinho, no norte do estado está em terceiro, com 63 hectares de mata derrubada.

Natasha Choinski, analista de processos ambientais da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS) lembra que o desmatamento está atrelado ao modelo de desenvolvimento econômico adotado: de exploração dos recursos naturais.

A especialista diz que o desmatamento interfere no ciclo natural do ambiente.

Para que os números parem de crescer é preciso além de consciência da população, mudanças na legislação.