Os oito jogadores expulsos no Atletiba do dia 5 passado, na Arena da Baixada, foram à Delegacia Móvel de Atendimento a Futebol e Eventos (Demafe), órgão da Polícia Civil do Paraná. Eles podem ser enquadrados no artigo 137 do Código Penal, que estabelece detenção de quinze dias a dois meses para quem participa de rixa. Mas os atletas não prestaram depoimento sobre os tumultos daquele jogo. “Eles têm o direito de falar somente na presença do juiz. Por isso, uma audiência foi marcada para maio”, disse o delegado Luiz Carlos Oliveira para a CBN.

Receberam cartão vermelho, após uma briga generalizada na Arena da Baixada, cinco jogadores do Athletico (Thiago Heleno, Pedro Henrique, Christian, Terans e Pedrinho) e três do Coritiba (Marcio Silva, Alef Manga e Fabrício Daniel). Nesta segunda-feira, todos assinaram um termo circunstanciado e foram liberados.

O caso também vai ser analisado pelo Tribunal de Justiça Desportiva do Paraná (TJD-PR), que pode suspender os atletas e punir o Athletico, mandante deste Atletiba de torcida única, com perdas de mando de campo (um a dez jogos) porque houve invasão de torcedores ao gramado.

Um dos invasores agrediu o goleiro Marcão, do Coritiba, e já foi punido. Este torcedor precisa comparecer durante um ano à Demafe nos horários dos jogos disputados pelo rubro-negro na Arena da Baixada.