Os guardas municipais de Curitiba passam a contar com um novo recurso tecnológico no trabalho: câmeras digitais acopladas aos coletes de proteção. Os equipamentos transmitem imagens em alta qualidade direto para a central.

Ela é pequena, do tamanho de um celular e fica fixada na parte da frente, na altura do peito, junto ao colete à prova de balas. Capta áudio e imagens de alta qualidade com possibilidade de transmissão em tempo real para a central da Guarda Municipal de Curitiba. O novo recurso tecnológico passa a ser usado nos uniformes da corporação, segundo o diretor da Guarda Municipal, Carlos Celso dos Santos Matos.

As câmeras corporais dão a visão que o guarda tem no momento da situação atendida. Mas o material não ficará disponível para acesso da população, respeitando as regras de privacidade da legislação brasileira, conforme reforça o diretor da Guarda Municipal.

Durante o lançamento houve uma demonstração do novo recurso. Para ligar, é feito o reconhecimento facial por quem está habilitado ao uso. A câmera acoplada ao colete transmitiu imagens ao vivo em um telão instalado na prefeitura. Nesta primeira fase, 50 exemplares serão colocados em operação. Na sequência, outras 50 câmeras, compradas via licitação e vindas de Israel, serão utilizadas. As vantagens são muitas, de acordo com o secretário de Defesa Social e Trânsito de Curitiba, Péricles de Matos.

O prefeito de Curitiba, Rafael Greca, diz que a ideia é mudar o conceito de segurança.

 No total, serão 515 equipamentos de alta tecnologia destinados ao uso no uniforme e 160 nos carros da Guarda Municipal.