A instituição financeira do Governo do Estado, Fomento Paraná, completa 23 anos de atuação, nesta terça-feira (8). Criada em 1997, a Agência passou a funcionar efetivamente a partir de 1999, com a autorização do Banco Central do Brasil e, atualmente, dispõe de uma carteira de crédito ativa de R$ 440 milhões.

Desse total, mais de R$ 174 milhões representam operações de microcrédito, no valor de até R$ 20 mil. O valor se soma a outros R$ 97 milhões em recursos do Fundo de Desenvolvimento Econômico (FDE). Segundo a Fomento Paraná, esse crédito foi liberado pela linha Paraná Recupera, durante a pandemia da Covid-19, e totaliza quase R$ 540 milhões em circulação na economia, para apoiar a continuação ou desenvolvimento de negócios, além da geração de emprego e renda.

Presente em mais de 90% dos 399 municípios paranaenses, a Fomento Paraná apresenta um modelo de parcerias em uma rede com participação das prefeituras, associações comerciais e empresariais, sindicatos patronais e sociedades empresariais, como explicou o diretor-presidente da Fomento Paraná, Heraldo Neves.

Em Curitiba, Simone Carnio, proprietária de uma escola de inglês, voltada ao público com mais de 50 anos, afirmou que as condições de financiamento apoiam os negócios e estimulam o empreendedorismo feminino.

A empresária explicou que o financiamento possibilitou a ampliação dos negócios.

Além dos recursos que impulsionam empreendimentos privados, como componente do Sistema de Financiamento aos Municípios (SFM), em conjunto com a Secretaria do Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (SEDU) e o Serviço Social Autônomo Paranacidade, a Fomento Paraná mantém uma carteira contratada de Operações do Setor Público.

De acordo com a Agência, há R$ 1,7 bilhão destinados para financiamentos de execução de obras públicas ou para a compra de equipamentos rodoviários para os municípios.

O diretor-presidente da Fomento Paraná falou sobre os planos para os próximos anos.

Para atender às solicitações, a Fomento ampliou a captação de recursos e, em julho deste ano, foi concretizada a primeira captação internacional, junto ao Banco de Desenvolvimento da América latina (CAF).

Conforme a instituição, há uma abertura de crédito de até R$ 250 milhões para assegurar recursos para apoiar empreendedores informais, MEIs, micro e pequenas empresas em projetos de investimento e capital de giro, puro ou associado, pelo Banco do Empreendedor e Banco da Mulher Paranaense.