A cerca de duas semanas para o início da 31ª edição do Festival de Curitiba, que estreia dia 27 de março, algumas encenações já estão com ingressos esgotados. Esse é o caso da peça “Ficções”, com a atriz Vera Holtz, e do espetáculo montado pelo Coletivo Impermanente, de São Paulo, “O que meu corpo nu te conta?”.

Segundo a diretora do Festival de Curitiba, Fabíula Passini, o esgotamento de ingressos para alguns espetáculos está ligado ao fato das pessoas se sentirem mais seguras em relação à Covid-19.

Este ano, o evento conta mais de 300 atrações, além da volta de algumas mostras que não aconteceram no ano passado.

2023 também marca a volta de atrações que reúnem música e gastronomia, o Gastronomix, como ressaltou Fabíula Passini.

A diretora do festival apontou a importância da volta da mostra Fringe, entre outras atrações, e alertou que quem pretende assistir às apresentações humorísticas do “Risorama” também precisa se apressar.

Outro destaque do Festival de Curitiba são as exibições de rua, que este ano, acontecem em vários pontos da cidade, além dos palcos montados na praça Santos Andrade e nas Ruínas de São Francisco.


Ainda existem ingressos à venda para as outras peças do festival, contudo, restam poucos lugares apenas para uma das sessões, como o espetáculo “Eu tenho uma história que parece com a minha”, com assentos vagos apenas para o dia 6 de abril. Já quem pretende prestigiar a peça “Brenda Lee e o palácio das princesas”, há ingressos disponíveis apenas para o dia 3 de abril, é a única opção.


Segundo a organização do festival, a procura diretamente na bilheteria é intensa para os espetáculos “Intimidade indecente”, “Enquanto você voava, eu criava raízes” e “O grande dia”.


Os ingressos para o Festival de Curitiba estão à venda no site oficial www.festivaldecuritiba.com.br e também na bilheteria do Shopping Mueller, no piso L3.