As exportações do Paraná cresceram 6,1% em janeiro de 2023, segundo levantamento do Instituto Paranaense de Desenvolvimento Econômico e Social, o Ipardes, com base nos dados do governo federal.

As principais altas em volume financeiro foram em carne de frango in natura (26,2%), o que representou um quinto de tudo o que foi exportado pelo Estado no mês, cereais (260,3%), açúcar bruto (265,5%), óleo de soja bruto (67,9%), farelo de soja (29,9%), automóveis (87,5%), veículos de carga (87,4%), materiais elétricos e eletrônicos (17%) e carne suína in natura (11,1%) também tiveram aumento.

Cereais e farelo de soja ultrapassaram a marca de US$ 100 milhões movimentados e carne de frango movimentou quase US$ 300 milhões.

A venda de automóveis chegou a 4% da participação do total da matriz paranaense, contra 2,3% em janeiro do ano passado.

Os 15 principais destinos foram China, Japão, Estados Unidos, Argentina, México, Chile, Colômbia, Índia, Paraguai, Países Baixos (Holanda), Coreia do Sul, Emirados Árabes Unidos, Itália, Vietnã e Reino Unido. Os produtos paranaenses foram enviados para 167 países.

Entre os maiores importadores, houve crescimentos em algumas movimentações: para o Japão de 182,3%, para o México de 56,1%, para a Colômbia de 65,7%, para os Países Baixos de 81,5% e para a Coreia do Sul de 62,7%. China, Japão e Estados Unidos foram os únicos países com os quais as negociações ultrapassaram a casa de US$ 100 milhões.

Os números também acompanham a tendência de 2022. A carne de frango in natura ganhou destaque entre os produtos mais exportados na balança comercial paranaense do ano passado. O produto teve alta de 31,72% nas exportações, ultrapassando a soja em grão, que costumava liderar a lista, mas no ano passado registrou uma queda devido à perda de safra por conta da forte estiagem que assolou o Estado em 2021. A participação de aves no comércio internacional aumentou de 14,5% para 16,5%.

Com informações da assessoria