Wagner Oganauskas, ex-marido de Ana Paula Campestrini, é condenado a 25 anos por homicídio qualificado. O Tribunal do Júri também condenou Marcos Antonio Ramon a 28 anos, 10 meses e 15 dias por homicídio qualificado e a 1 ano, 1 mês e 2 dias por fraude processual. A sentença foi apresentada na noite de sexta-feira, após dois dias de julgamento.

Ana Paula Campestrini foi morta dentro do carro quando chegava em casa, no bairro Santa Cândida, em Curitiba, em 22 de junho de 2021. 

O Ministério Público (MPPR) sustenta que Wagner Oganauskas teria feito um pagamento de cerca de R$ 38 mil a Marcos Ramon para cometer o crime. Durante o julgamento, ele negou ser o mandante da morte da ex-mulher.

Já o acusado de matar Ana Paula, Marcos Ramon confessou durante o julgamento que cometeu o crime. Ele alegou que fez isso porque almejava a presidência do clube em que Wagner era presidente, por isso precisava afastá-lo do cargo.

Segundo o Ministério Público, para executar o crime, o réu teria, intencionalmente, autorizado a emissão de carteirinha do clube do qual era presidente para que a mulher pudesse levar os filhos ao local. 

Também fez com que as câmeras de segurança do clube fossem desligadas, para que o autor dos disparos pudesse seguir a vítima dali até sua casa, executando o crime sem ser reconhecido ou identificado (dirigindo uma moto sem placas).