Nesta quinta-feira (10) é o Dia Nacional de Prevenção e Combate à Surdez. O Hospital Pequeno Príncipe, referência no atendimento pediátrico no País, lançou um alerta para o diagnóstico e reabilitação precoce. De acordo com a OMS, até 60% dos casos de perda auditiva poderiam ser evitados por meio das vacinações, acompanhamento pré-natal, realização da triagem neonatal e tratamento de doenças inflamatórias do ouvido.

De acordo com Rodrigo Guimarães Pereira, otorrinolaringologista do Pequeno Príncipe, o ideal é que, em até 48 horas após o nascimento, todos os bebês passem por um exame de triagem, fundamental para a identificação de qualquer alteração auditiva.

O especialista lembra ainda que o quanto antes a criança começar a ter experiências auditivas, menor será o impacto no seu desenvolvimento.

Por isso, para prevenir os casos de surdez em crianças, é essencial que se tenham alguns cuidados desde a gravidez.

Os cuidados e a prevenção contra problemas auditivos também devem continuar em todas as fases da vida.

Após o diagnóstico, cada caso é avaliado para verificar qual a melhor reabilitação auditiva. Uma das formas de tratamento é o implante coclear, que é indicado para perdas auditivas severas e profundas, ou surdez total.

Em Curitiba há cerca de 20 mil pessoas surdas, entre homens e mulheres. Em todo o Paraná, segundo o Censo Demográfico de 2010, eram quase 19 mil. Já a nível nacional, dois milhões de brasileiros possuem alguma deficiência auditiva, o que corresponde a em torno de 1% da população do país, segundo dados da Pesquisa Nacional de Saúde. A Organização Mundial da Saúde (OMS) já estima que, até 2050, 2,5 bilhões de pessoas no mundo terão algum tipo de perda auditiva, sendo que 700 milhões delas vão precisar de serviços de reabilitação.