Os deslizamentos causados pela chuva forte desta segunda-feira (28), provocam até agora duas mortes e cinco feridos em Guaratuba, na BR-316. No momento, se estima que 15 automóveis e 6 caminhões estão soterrados nas pistas que continuam interditadas nos dois sentidos.

Ainda não está confirmado o número de desaparecidos, mas as equipes de resgate e remoção de materias estão trabalhando junto com geólogos e o tempo continua instável no local. Thiago Iavorski estava no local procurando seu cunhado, que é caminhoneiro, tem 51 anos e está desaparecido após ficar no parado no trânsito no local do desbarrancamento.

Na tarde da segunda-feira (28) às 16h da tarde aconteceu o primeiro desbarrancamento, que causou um bloqueio na pista para os motoristas que cruzavam a rodovia 376 no km 669. Às 19h da noite veículos que estavam parados por conta do primero deslizamento foram pegas de surpresa quando aconteceu o segundo desabamento. Marcelo Pereira é socorrista voluntário e esteve ontem no local para resgatar as vítimas.

O corpo de bombeiros não consegue ter acesso até o local porque esta uma área instavel, mas as equipes estão tentando chegar até possíveis vítimas do desastre com vida.

As equipes da Força de Segurança, da Defesa Civil e do Corpo de Bombeiros estão reunidas no posto da Polícia Rodoviária Federal do km 662, o mais próximo de onde ocorreu o deslizamento. Tenente Rocha, do Corpo de Bombeiros explica as dificuldades encontradas neste momento do resgate.

Ainda não se sabe a quantidade exata de desaparecidos, por isso o Governo do Paraná divulgou dois telefones de atendimentos para familiares das vítimas do deslizamento. Os contatos são 0800-282-8082 (Centro Integrado de Comando e Controle) e (41) 3363-7242 (Polícia Científica).

Ao todo as equipes de força tarefa, entre bombeiros, geólogos e socorristas somam cerca de 60 pessoas do Paraná e de Santa Catarina trabalhando. O tenente coronel Adriano Barbosa explica detalhes sobre os veículos no local.

O Corpo de Bombeiros afirma que as chuvas confirmadas para os próximos dias poderiam dificultar os trabalhos, mas que a equipe irá trabalhar 24 horas por dia para o resgate completo das vítimas do desastre.