Guardas municipais de Curitiba passaram por uma capacitação ofertada pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) para iniciarem atuação no levantamento, atendimento e registros de acidentes em rodovias federais, no caso, a Linha Verde (BR-476). A primeira etapa terminou nesta terça-feira (20), com participaram de 60 guardas municipais.

Agora eles devem atuar como multiplicadores, segundo o Inspetor Antônio Paim de Abreu Junior, Superintendente da PRF no estado do Paraná.

A expectativa é que todo o efetivo da GM, cerca de 1,5 mil guardas, sejam habilitados para utilizar o sistema de registro de acidentes da PRF, que faz parte do Programa Multiagência.

A iniciativa é fruto de um Acordo de Cooperação Técnica (ACT) firmado entre a PRF e a Prefeitura de Curitiba, pela Secretaria Municipal de Defesa Social e Trânsito. O acordo foi firmado em 2021 e prorrogado até 2027, de acordo com o Superintendente da PRF.

 

Estatísticas
De acordo com números apresentados pela Polícia Rodoviária Federal, que monitora o trecho onde passa o traçado da Linha Verde, por dentro de Curitiba, os acidentes aumentaram cerca de 20% de janeiro a julho de 2022, em relação ao mesmo período do ano passado.

Ao longo destes sete meses, foram registradas 224 ocorrências e deste total, 40 entraram na classificação grave, que leva em conta pessoas encaminhadas para hospitais e mortes. Neste mesmo período 37 vítimas com ferimentos graves receberam encaminhamento. Quatro morreram.

Isso representa o dobro do ano passado, quando houve registro de duas mortes neste trecho atendido pela PRF.

Ano passado, os agentes federais atenderam 188 acidentes, 44 graves, com duas mortes.