De acordo com o último boletim semanal da Covid-19 publicado pela Secretaria Municipal de Saúde de Curitiba, a capital paranaense registrou entre 30 de novembro a 6 de dezembro 10.511 novos casos da doença, com uma média de 1.502 por dia. O número de contaminados vem aumentando desde o início de novembro, quando novas subvariantes da cepa da Ômicron, uma das linhagens mais transmissíveis, foram detectadas no Brasil.

O pico de casos ativos em 2022, foi registrado no dia 1º de fevereiro, quando 16.739 pessoas estavam contaminadas pela Covid-19. Em maio tivemos uma nova alta de casos, com 11.466 casos ativos.
Para o infectologista e professor de medicina da Universidade Positivo, Marcelo Ducroquet, este número significa um movimento esperado para o vírus respiratório, que é cíclico.

Com a proximidade do fim do ano, aumento das reuniões familiares e confraternizações, há a expetativa de que esse número cresça até o início de janeiro.

Ainda conforme o boletim da Secretaria de Saúde, foram registradas 15 novas mortes pela Covid-19 na cidade e as vítimas não haviam tomado a vacina contra a doença ou estavam com a imunização incompleta. Além disso, 35 adultos e três crianças estiveram internados em decorrência do novo coronavírus.

De acordo com Beatriz Battistella Nadas, secretária de Saúde de Curitiba, o perfil desses internamentos segue o das mortes registradas, de pessoas sem proteção imunológica.

O infectologista recomenda que as pessoas façam a vacinação de reforço contra a Covid-19, que em Curitiba já atinge pessoas com 27 anos ou mais, conforme o cronograma divulgado pela SMS no portal Imuniza Já.

Vale lembrar que quem está com a vacina atrasada, pode participar da repescagem que acontece de segunda a sexta nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) de Curitiba.