Em agosto, a cesta básica na capital paranaense apresentou queda de 0,45% em relação ao mês de julho e o valor ficou em R$ 685,69.

Foi o que apontou a pesquisa mensal Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Durante o ano, o percentual de aumento do conjunto de alimentos básicos foi de pouco mais de 9%, e em 12 meses de cerca de 14%.

Segundo o levantamento, Curitiba apresentou o oitavo maior valor entre as 17 cidades pesquisadas e ficou atrás de São Paulo, Porto Alegre, Florianópolis, Rio de Janeiro, Campo Grande, Vitória e Brasília.

Entre julho e agosto houve redução do preço médio da batata, óleo de soja, tomate, feijão preto, café, banana, leite integral, açúcar refinado, arroz parboilizado e manteiga. Já a carne bovina de primeira, pão francês e farinha de trigo, foram os produtos que aumentaram.

Entre agosto do 2021 e agosto deste ano, 10 produtos apresentaram aumento nos preços, sendo que as maiores altas foram registradas no leite integral, café, banana, farinha de trigo, manteiga, açúcar refinado, óleo de soja, pão francês, batata, carne bovina de primeira e tomate. As reduções ocorrem apenas no arroz parboilizado e no feijão preto.

De acordo com a pesquisa, os moradores de Curitiba gastam mais da metade do salário-mínimo líquido, que gira em torno de R$ 1.121, para comprar os produtos da cesta. Ou seja, é preciso trabalhar mais de 15 dias para conseguir comprar apenas os itens básicos de alimentação.