Um cartão vermelho recebido pelo zagueiro Pedro Henrique aos 42 minutos do segundo tempo fez a diferença na decisão da Copa Libertadores da América, neste sábado (29), em Guayaquil, cidade equatoriana. Com um jogador a menos, o Athletico perdeu para o Flamengo, por 1 a 0, e viu o time carioca conquistar a competição pela terceira vez (1981/2019/2022). O gol do título, marcado pelo atacante Gabigol aconteceu aos 48, seis minutos depois da expulsão.

Assim como em 2005, quando foi derrotado pelo São Paulo, o rubro-negro paranaense ficou em segundo lugar na Libertadores. Campeão, o rubro-negro carioca vai disputar no primeiro semestre de 2023 o Mundial Interclubes, que ainda não tem data e local definidos pela FIFA.

O jogo

Foram do Athletico as melhores chances nos primeiros 25 minutos: Vitinho ganhou de David Luís dentro da área e chutou forte, mas o goleiro Santos defendeu; Alex Santana ajeitou de cabeça e mandou por cima do travessão; Vitor Roque arriscou de fora da área e a bola passou perto da trave direita de Santos.

O Flamengo não conseguia entrar na área e, além de não superar a bem armada defesa paranaense, sofreu a perda do lateral-esquerdo titular logo aos 18 minutos: com dores, após uma dividida, Filipe Luís foi substituído por Ayrton Lucas.

Maior prejuízo, no entanto, teve o Athletico quando foi expulso Pedro Henrique, que já tinha cartão amarelo e recebeu o vermelho ao atingir Ayrton Lucas com um “carrinho”. Com um a mais, o Flamengo achou brecha e abriu a conta: pelo lado direito, Everton Ribeiro tabelou com Rodinei e cruzou para Gabigol, que completou livre de marcação.

No segundo tempo, o Flamengo aproveitou o espaço aberto pela vantagem de 11 contra 10 e teve volume para ampliar: Gabigol chutou em cima do goleiro Bento; da entrada da área, Pedro finalizou por cima da trave; Gabigol tocou para Pedro, mas o zagueiro atleticano Thiago Heleno interceptou; e Arrascaeta, de cabeça, parou no goleiro Bento.

O Athletico só criou novas ocasiões após os 35 minutos da etapa final: Terans arriscou de fora da área e Santos segurou depois de quase deixar a bola escapar; Pablo cabeceou perto da trave, para fora; e Terans, em boa cobrança de falta, viu nova defesa de Santos, que segurou sem susto.

COPA LIBERTADORES DA AMÉRICA
Decisão, jogo único
Sábado, 29/10 – 17h (de Brasília) – 15h (local) – Estádio Monumental Isidro Romero Carbo, em Guayaquil (Equador)
FLAMENGO 1 x 0 ATHLETICO
Gol: Gabigol (Flamengo) aos 48 minutos do 1º tempo
Árbitro: Patricio Loustau, auxiliado por Diego Bonfá e Ezequiel Brailovsky, todos da Argentina
Árbitro de vídeo: Mauro Vigiliano, da Argentina
Expulsão: Pedro Henrique (Athletico) aos 42 minutos do 1º tempo
Cartões amarelos: Pedro Henrique, Alex Santana, Rõmulo (Athletico), Arrascaeta (Flamengo)
Flamengo: Santos; Rodinei, David Luiz, Léo Pereira e Filipe Luís (Ayrton Lucas); Thiago Maia (Vidal), João Gomes, Everton Ribeiro e Arrascaeta (Victor Hugo); Gabigol (Everton) e Pedro; técnico: Dorival Júnior.
Athletico: Bento; Khellven, Thiago Heleno, Pedro Henrique e Abner: Hugo Moura (Terans), Fernandinho, Alex Santana (Matheus Felipe) e Vitor Bueno (Canobbio); Vitinho (Rômulo) e Vitor Roque (Pablo); técnico: Luiz Felipe Scolari.