Segundo pesquisa realizada pelo Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), Curitiba apresentou redução de 2,34% na cesta básica, com o custo de (R$678,90).

Conversamos com alguns consumidores, a respeito dessa baixa, e observando se houve diferença de preços nas prateleiras e principalmente o impacto no bolso do curitibano. Seu Vanderlei comenta sobre a situação:

Nos meses de janeiro e fevereiro, houve redução do preço médio da batata (-22,50%), tomate (-12,81%), café (-1,60%), pão francês (-0,83%), carne bovina de primeira (-0,75%) e óleo de soja (-0,31%).
Dona Maria do Carmo comenta sobre as condições financeiras dos trabalhadores em relação ao preço dos produtos:

Por outro lado, alguns produtos apresentaram aumento no preço médio, como o leite integral (4,85%), feijão preto (3,55%), manteiga (1,71%), arroz parboilizado (0,87%), banana (0,56%) e açúcar refinado (0,25%). Já o preço da farinha de trigo manteve-se estável nesse período.

Falamos também, com a dona Inês sobre essas variações de preços:

Nos primeiros meses de 2022, o preço da cesta disparou e chegou a quase R$ 740 em abril. No ano, o percentual de aumento do conjunto de alimentos básicos foi de (-2,83%), e, em 12 meses, de 3,98%.

O Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), teve alta em fevereiro de 0,84%. No grupo Alimentação e bebidas fechou em (0,16%) Houve queda nos preços das carnes (-1,22%) na batata-inglesa (-11,57%) e no tomate (-9,81%). O destaque em alta foi o leite longa vida com (4,62%).

Por: Jonathan Ávila