Como acontece em todos os anos, no mês de outubro são intensificadas as ações de prevenção relacionadas à saúde da mulher, com exames para detectar de câncer de mama e também de colo de útero.

Este ano o Governo do Paraná vai ampliar o número de exames durante a campanha do Outubro Rosa. A ação quer chamar a atenção para a prevenção do câncer de mama e do colo do útero, além de conscientizar sobre a importância de consultas periódicas e tratamento precoce, como explica o secretário Estadual de Saúde, César Neves.

Para este ano, a Secretaria de Estado da Saúde (Sesa) estima que devam ser registrados mais de 3.400 novos casos de câncer de mama e quase 1.000 novos diagnósticos de câncer do colo do útero. A Secretaria da Saúde também realiza a busca ativa de mulheres dentro da faixa etária para que façam os exames de rastreamento. Outra estratégia adotada é incentivar o atendimento ampliado, em horários alternativos, durante a semana.

Segundo o Painel de Oncologia do Ministério da Saúde, foram diagnosticados mais de 3.600 casos de câncer de mama em moradoras do Paraná em 2019. Já em 2020 houve queda de 11%, foram registradas cerca de 3.300 confirmações da doença. Porém, os números podem estar relacionados à pandemia da Covid-19 e, consequentemente, subnotificados, já que os números voltaram a crescer em 2021. O registro de alta foi de 7% e os casos passaram de 3.500 diagnósticos. Até o mês de setembro deste ano, já são quase 2.000 mil registros.

O relatório de dados do Sistema de Informação do Câncer (Siscan) apontam que houve, no Paraná, foram realizadas mais de 347 mil mamografias em 2019. Em 2020, em razão da Covid-19, o número caiu para pouco mais de 191 mil exames, uma redução expressiva de 45%. Já em 2021 foram realizadas quase 240 mil mamografias. Em 2022, até setembro, foram cerca de 199 mil exames.

Informações divulgadas pelo Ministério da Saúde em relação ao câncer de colo de útero, causado pela infecção por alguns tipos de HPV (papilomavírus humano), indicam que em 2019 foram registrados cerca de 1.400 casos de câncer de útero no Estado. Em 2020 o número foi um pouco menor, com pouco mais de 1.300 ocorrências. Já em 2021, foram quase 1.500 diagnósticos positivos. Assim como os casos de câncer de mama, os resultados de 2020 também podem ter sofrido impacto da pandemia, principalmente em relação à subnotificação.

O chefe do serviço de ginecologia e mama do Hospital Erasto Gaertner, José Clemente Linhares, alerta sobre o aumento do número de casos e também sobre os tipos de tumores encontrados.

Este ano, os diagnósticos estão voltando aos padrões que eram detectados antes da pandemia, segundo o especialista. Ele também alerta para a antecipação do diagnóstico.

A recomendação é para que a realização dos exames da mama aconteça a cada dois anos para mulheres entre 50 e 69 anos. O exame citopatológico do colo uterino deve ser feito a cada três anos em mulheres de 25 a 64 anos, se os resultados estiverem normais. Todos os exames podem ser feitos em qualquer unidade de saúde.

Conforme especialistas, a redução no número de casos pode chegar a até 30% com prevenção e bons hábitos, que vão desde hábitos alimentares saudáveis, prática de atividades físicas, manutenção do peso corporal adequado, evitar o consumo de bebidas alcoólicas e não fumar.