Durante a primeira reunião com a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a Bancada Paranaense em Brasília, junto com deputados estaduais convidados, discutiram sobre o modelo de pedágio que deve ser adotado no estado do Paraná. Sem concessão desde 2021, os trechos de rodovias federais, como a BR-277 sofrem com a falta de manutenção e reparos. Segundo o deputado estadual, Arilson Chioratto (PT) convidado para a reunião, a principal discussão agora é sobre o aporte que será aplicado como condição para a concessão das rodovias.

Do modelo de aporte discutido, agora há a necessidade de definição da curva de aporte.

Uma nova rodada de discussões com a ANTT foi marcada para o dia 28 de março. Depois da conversa com os técnicos, os políticos também se reuniram com o ministro dos Transportes, Renan Filho. O senador Flávio Arns (PSB) ressaltou a urgência dos trabalhos na BR-277.

De acordo com Chiorato, o ministro liberou mais R$284 milhões para construções e reparos em estradas. O valor se soma aos R$ 439 milhões que já haviam sido anunciados pelo Ministério dos Transportes para uso na manutenção das estradas federais.