A demora para receber atendimento deixou algumas pessoas indignadas na Unidade de Saúde Campina do Siqueira, em Curitiba. Segundo relato feito à rádio CBN, por uma pessoa que estava no posto de saúde, a espera foi de mais de uma hora para quem foi ao local tomar vacina na sexta-feira (9).

Segundo informado, a indignação ficou maior por causa dos chamamentos que são feitos pela Prefeitura de Curitiba, para que a população compareça aos postos para completar o esquema vacinal. Porém, pelo menos na sexta-feira, muitas pessoas se depararam com filas e muita demora na unidade que fica no bairro Campina do Siqueira.

Em nota, a Prefeitura de Curitiba informou que nos postos de saúde os pacientes são atendidos de acordo com o grau de risco definido pelo Protocolo de Manchester. Também informou que idosos, crianças, gestantes e pessoas com deficiências têm preferência dentro de cada nível de prioridade.

Já em relação à demora para tomar vacina, segundo a prefeitura, há uma série de fatores que envolvem o tempo de atendimento para vacinação, como prioridade, existência de cadastro, tipo de vacina, entre outros fatores.

Para quem precisa colocar a carteira de vacinação em dia, conforme informações da prefeitura, os postos de saúde ficam abertos de segunda a sexta-feira, das 8h às 17h. Ao todo, a Secretaria de Saúde de Curitiba disponibiliza imunização em 107 postos de saúde, que oferecem 19 tipos de vacinas.

Lembrando também que o Ministério da Saúde prorrogou a campanha de vacinação contra a poliomielite até 30 de setembro, por conta da baixa adesão em todo o país, inclusive no Paraná. E, novamente, os órgãos de saúde fazem um pedido para que os pais levem as crianças para completar o esquema vacinal.

Também chamada de pólio ou paralisia infantil, é uma doença contagiosa causada por vírus que pode infectar crianças e adultos e em casos mais graves leva à paralisia dos membros inferiores. Os órgãos de saúde ressaltam que a vacinação é a única forma de prevenir a doença e todas as crianças devem ser imunizadas.

Outra vacina que a população deve ficar atenta para completar o calendário é a anticovid, principalmente as crianças que têm entre 3 e 4 anos. Segundo dados do Painel Covid da Prefeitura de Curitiba, cerca de 44,5 mil crianças dessa faixa etária são esperadas nas unidades de saúde, mas até o momento pouco mais de 13 mil crianças receberam a 1ª dose do imunizante da Coronavac, o que equivale a pouco mais de 30% do público-alvo. Esse percentual cai ainda mais em relação aos pequenos que tomaram a 2ª dose, já que somente 3.284 crianças, o que representa 7,4%, estão devidamente imunizadas.

Todos os públicos já convocados podem comparecer, a qualquer tempo, nas unidades de saúde para receber, seja 1ª ou 2ª dose, além das doses de reforço.