Nesta sexta-feira (08) um episódio lamentável aconteceu durante a cobertura de um protesto no centro de Curitiba, com uma de nossas equipes de jornalismo. Durante a reportagem  da manifestação de mães que protestavam contra multas aplicadas a um odontopediatra especializado em atendimento de crianças com necessidades especiais, o advogado do condomínio, Gelson Arend, tomou o celular das mãos da repórter da CBN Curitiba Simone Giacometti, agrediu o repórter da Ric TV Raphael Augustus e chegou ao ponto de dar um soco na câmera do cinegrafista Christopher Spuldaro, que registrou a ação do advogado.

O aparelho só foi recuperado porque a equipe de jornalismo da Ric TV foi atrás do advogado e pegou de volta o celular. O que motivou a agressão gratuita foi um simples pedido de entrevista. Inexplicavelmente, o advogado ficou irritado ao ser questionado sobre a postura adotada pelo condomínio sobre o tratamento dado aos pacientes portadores de necessidades especiais.

Ele não quis gravar ao ser convidado pela repórter, que tentou ouvir todas as partes envolvidas, premissa fundamental para o exercício da profissão. Em vez de falar sobre a postura da administradora onde o advogado atua na função de conselheiro, ele partiu para a agressão física e verbal.

A direção de jornalismo da Rádio CBN Curitiba se solidariza aos jornalistas envolvidos e se une às notas de repúdio divulgadas pelo Sindicato dos Jornalistas do Paraná e pela Ordem dos Advogados do Paraná, que condenaram a atitude do advogado.

Em nota, a OAB Paraná se manifestou contra a agressão:

“A OAB Paraná, após ter contato com o conteúdo do vídeo encaminhado pela Rádio CBN, lamenta profundamente o episódio ocorrido na tarde desta sexta-feira, em que a jornalista Simone Giacometti, teve seu o gravador, portanto seu instrumento de trabalho, agressivamente tomado pelo advogado de um condomínio, durante reportagem no centro de Curitiba.

 A OAB Paraná sempre se posicionou e sempre se posicionará contra qualquer tipo de violência e tem a ética profissional como uma diretriz a ser seguida por todos os seus inscritos. Temos certeza de que a conduta do advogado em questão não reflete o comportamento majoritário da advocacia paranaense, que preza pela urbanidade e pelo respeito nas relações interpessoais e profissionais. Acima de tudo, preza pela independência e pela liberdade de imprensa, reconhecendo o papel fundamental que os profissionais de comunicação exercem na informação à sociedade e na preservação da democracia.

Nesse sentido, a OAB Paraná informa que, caso haja formalização da representação contra o advogado, apurará devidamente o fato e, por consequência, tomará as medidas disciplinares cabíveis, garantidos sempre os princípios da ampla defesa e do contraditório”.

Em nota, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (SindijorPR) se manifestou contra a agressão:

“O SindijorPR denuncia agressão a jornalistas da CBN e RIC TV e repudia tentativa de impedir o trabalho da imprensa

Profissionais realizavam a cobertura de um protesto em frente a um prédio, em Curitiba. Denúncia foi levada à OAB Paraná

 O Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Paraná (SindijorPR) levou a conhecimento da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Seção do Paraná, nesta sexta-feira (08), denúncia de jornalistas da Rádio CBN Curitiba e da RIC TV sobre agressões sofridas durante a cobertura de um protesto de mães de crianças com deficiências e de autistas em frente a um prédio, na Avenida Cândido de Abreu, no centro de Curitiba.

 De acordo com o relato dos jornalistas que trabalhavam na cobertura do protesto, a repórter Simone Giacommetti, da Rádio CBN, fez contato com o advogado Gelson Arendt, que representa o condomínio, para ouvir a administração do prédio. Ainda segundo os jornalistas presentes, o advogado Arendt tomou o celular da emissora da mão da repórter, saiu com o aparelho e afirmou que não iria devolver o equipamento.

 O celular foi recuperado, de acordo com os relatos dos jornalistas, por uma equipe de reportagem da RIC TV, que seguiu o advogado e insistiu para ele devolvesse o aparelho. Arendt, segundo os relatos, ainda empurrou o repórter Raphael Augustus da RIC TV antes de entrar no condomínio.

Imagens gravadas pela equipe da RIC TV e participantes do protesto mostram Arendt de posse do celular da equipe da CBN. Em um momento, o advogado desfere um soco contra a câmera da TV.

 O protesto foi motivado, segundo os organizadores, por uma decisão da síndica do condomínio, que multou o odontopediatra Edson Higa por atender crianças autistas e com deficiências, uma vez que algumas costumam chorar durante o atendimento.

“Além disso, no último sábado, uma criança foi constrangida, junto com a mãe, quando, por normas do condomínio e estacionamento, o porteiro impediu que a mãe, Míriam Cabral, estacionasse seu carro na garagem, para acompanhar sua filha portadora de necessidades especiais” relatam os organizadores da manifestação.

O SindijorPR pede que a OAB Paraná abra processo disciplinar para apurar as denúncias de agressão atribuídas ao advogado Gelson Arendt e também está prestando outras orientações às vítimas.

O Sindicato condena a tentativa de impedir o trabalho dos jornalistas, o que caracteriza um atentado à liberdade de imprensa e, como consequência, à democracia e ao direito de as pessoas receberem informação confiável e ética”.

Assista:

 https://www.instagram.com/tv/CcGu1j3pNEy/?igshid=YmMyMTA2M2Y=